ENTREVISTA COM A AUTORA FERNANDA RODRIGUES

Estamos iniciando a nossa roda de conversas com os autores da Editora Fora da Caixa. A nossa primeira entrevista é com a autora do livro de micropoesias chamado "Oceânica", Fernanda Rodrigues.


Editora Fora da Caixa: Quando começou o amor pela poesia?

Fernanda Rodrigues: Na verdade, iniciei com a prosa mesmo, testando o gênero romance ou textos no geral. Eu escrevia poesia aleatoriamente até que, descobri os poemas curtos e tomei gosto pelo tipo de escrita. Então, resolvi compilar os poemas dos últimos dois anos e assim, nasceu o Oceânica.

EFC: Você sempre pensou em escrever sobre esse estilo?

FR: Não. Minha ideia sempre foi escrever romances. 

EFC: Dizem que a poesia reflete mais os momentos de tristeza do autor. É 
exatamente assim que acontece? O poeta precisa de momentos ruins para 
desabafar?

FR: Bom, o processo de escrita sempre teve um certo cunho terapêutico pra mim. Então, em momentos mais obscuros nascia um poema e eu me libertava de um sentimento angustiante, digamos assim.Como a minha escrita segue uma linha confessional, ela acompanha as minhas fases também, depois de um amadurecimento pessoal eu percebi que havia o que dizer em momentos felizes também e, sinceramente, foi libertador.

EFC: Qual foi a sua emoção em ter o seu primeiro livro publicado?

FR: Ainda me pego às vezes duvidando se é verdade rs. Publicar um livro sempre foi um dos meus maiores sonhos e eu imaginava ser algo distante, cheio de dificuldades. Quando vi o interesse da editora e a possibilidade se tornar real, foi algo mágico e ainda está sendo.

EFC: O que você diz para os autores que estão iniciando e que sonham em 
poder ter o seu livro publicado?

FR: Em primeiro lugar, trabalhem seu estilo e busquem referências de leitura. Cada um, porque escrever e desenvolver um estilo envolve prática, encontrará o seu. Depois, que não tenham vergonha ou receio de mostrar seus textos, é muito legal escrever e eu passei muito tempo escondendo e renegando a ideia deser escritora. E onde posso indico a Fora da Caixa como editora.

EFC: E qual conselho você daria para os novos poetas?

FR: Olha, tenho alguns alunos que escrevem e me pedem conselhos. Sempre os incentivo a continuar, lendo, produzindo e divulgando inicialmente em suas redes sociais.

EFC: A poesia está crescendo no Brasil e no mundo. Mas, principalmente, no nosso país. Vemos mais livros deste gênero sendo vendido nas livrarias e em feiras. Você acha que é um momento passageiro ou que é apenas o início?

FR: Acredito que a literatura reflete o momento no qual a sociedade vive. Tivemos grandes poetas e destaque para a poesia como na geração romântica, por exemplo, depois  houve um certo declínio pelo gosto a poesia, até porque o texto poético carrega consigo subjetividades e significados que exigem uma interpretação aguçada. Não creio que seja passageiro, mas um retrato dos novos leitores.

EFC: Os leitores podem esperar mais livros seus?

FR: Com certeza! Minha cabeça fervilha com ideias para os próximos livros.

EFC: Agora, a nossa última pergunta: o que é a literatura para você?

FR: Literatura é manter os sentidos abertos, expandir o campo das ideias, expressar emoções, renovar nossas opiniões e conseguir fazer uma leitura crítica de nossa realidade e contexto através das palavras.


Agradecemos a autora pela oportunidade dessa entrevista. Aproveitamos para desejá-la toda sorte desse mundo em sua carreira literária.

Fiquem ligados que em breve teremos um novo autor por aqui.



LANÇAMENTOS